A inadimplência condominial representa um dos maiores problemas na administração dos condomínios. Existem diversas empresas e escritórios de advocacia especializados na cobrança e recuperação da inadimplência condominial. Normalmente, a primeira abordagem é realizada de forma extrajudicial (envio de notificação extrajudicial, contato telefônico, mensagem de texto ou plantão de cobrança). Além dessa opção, ainda extrajudicialmente, também é possível resolver a questão em uma Câmara Arbitral, contudo essa opção depende do desembolso prévio das custas – exigidas para instauração do procedimento, comparecimento espontâneo do condômino inadimplente e sua aceitação para se submeter ao procedimento (ou depende da aprovação em assembleia). Frustrados os meios de tentativa de composição amigável fora do âmbito judicial, inevitavelmente, o ajuizamento de uma ação mostrava-se o único caminho para compelir o condômino inadimplente. No entanto, o procedimento judicial, por diversos fatores, ainda se mostra moroso e demasiadamente oneroso para as partes envolvidas (condomínio x condômino inadimplente). Pensando nesse tipo de conflito especificamente – inadimplência condominial, o CEJUSC – Centro Judiciário de Soluções de Conflitos e Cidadania pode otimizar custos e auxiliar no procedimento para diminuir a taxa de inadimplência dos condomínios em geral. Atualmente, é possível realizar uma reclamação pré-processual no CEJUSC mais próximo do seu condomínio e convidar os condôminos inadimplentes para uma audiência de tentativa de composição amigável, sem pagamento prévio de custas processuais.  O procedimento em questão (reclamação pré-processual), no nosso entendimento, tem os seguintes atrativos: (a) não exige pagamento prévio de custas processuais para instauração do procedimento; (b) não há limite no valor da cobrança; (c) agendamento das audiências para a mesma data, de acordo com a disponibilidade do CEJUSC; (e) celeridade do procedimento; (f) homologação judicial do acordo; (g) ambiente amistoso e propício para autocomposição. Portanto, entendemos que a eleição desse procedimento pode representar ganho mútuo para as partes envolvidas, uma vez que o conflito pode ser resolvido de forma amigável, preservando o relacionamento das partes, e menos onerosa.