Os estabelecimentos (empresas, hospitais, supermercados, cooperativas, restaurantes, lanchonetes e similares) dedicados à produção e ao fornecimento de alimentos (in natura, industrializados ou refeições prontas para o consumo), desde julho/2020, estão autorizados a doar excedentes não comercializados. O alimento deve estar dentro do prazo validade, observar as regras de conservação e não pode ter sua integridade comprometida. A embalagem pode apresentar dano parcial ou aspecto comercialmente indesejável. O alimento deve manter suas propriedades nutricionais e a segurança sanitária. A lei prevê que essa doação não configura relação de consumo. A doação deve ser gratuita. Gostou, compartilhe, divulgue e incentive iniciativas como essa! Doar faz bem!